Modulação FM

Os sinais modulados em FM são mais imunes ao ruído e à interferência aditivos que os sinais AM, uma vez que a informação é transportada pela frequência instantânea do sinal modulado e não pela amplitude da portadora. Assim, os sistemas de transmissão em que é necessária uma maior qualidade do sinal (relação sinal-ruído) é utilizada normalmente a modulação em frequência.
A Frequência Modulada (FM) veio alterar a recepção da rádio e a qualidade sonora, já que a FM é cerca de 30 vezes menos sensível ao ruído estático que a AM. No entanto, a grande desvantagem da FM é o seu curto alcance.
Salvo especificação em contrário nos planos, o desvio máximo de frequência das emissões em modulação de frequência não deverá ser superior a 50 kHz. Quando sejam utilizadas frequências de modulação superiores a 15 kHz, deverá ser reduzido o desvio máximo de frequência, a fim de evitar interferências às estações que funcionam nos canais adjacentes.
Na modulação FM, cada bit corresponde directamente a uma inversão de sinal, ou seja, a correspondência é [de] 1:1, ou seja, não há “compactação” dos dados.
O sinal pode ser enviado utilizando várias técnicas de modulação. A mais simples para ligações por fibra óptica é por modulação de intensidade directa. Um dos métodos mais complexos, mas também mais eficiente, resulta da impressão do sinal em banda base numa subportadora eléctrica, antes da modulação em intensidade da fonte óptica. Técnicas usuais incluem modulação em amplitude (AM), modulação em frequência (FM) e modulação em fase (PM).